"Quem tinha tempo para a poesia? Pois ela comprou um carrinho invisível e começou a catar palavrão" Rita Apoena

12.12.17

Quilômetros de azul sem fim

Eu tentei me livrar de você, várias vezes. De várias formas. Mas parece que você dá um jeito de aparecer.

É assim, a gente quase que nem consegue fechar a porta antes de ir, porque a gente quer fugir e esquece a porta aberta.
Nós éramos uma urgência tão grande.
Ás vezes me pergunto se eu vou encontrar outra urgência dessa na vida de novo, porque eu acho que já gastei toda urgência que alguém poderia ter, com você. E isso é tão cruel, porque eu ainda queria ser urgente com outras pessoas, mas eu não sou. Eu sou indiferente às outras pessoas. Eu as deixo meses na sala de espera. Era diferente com você, fazia tanto sentido. Será que ainda faz? Era tão urgente querer você. Eu nem conseguia respirar.

Será que vai ser assim pra sempre, vou nadar quilometros de azul sem fim e não chegar a lugar algum?

Nenhum comentário:

Postar um comentário